segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Audiência entre Sindsec e Governo vai discutir Campanha Salarial 2018

 Audiência será dia 20 de fevereiro


PUBLICIDADE


  




A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Canindé Sindsec, Regina Lemos, confirmou uma audiência no Palácio Municipal, no próximo dia 20 deste mês, entre sindicato e Governo Municipal.

De acordo com Regina, o objetivo da audiência com o Governo Municipal é discutir a Campanha Salarial 2018 dos servidores de Canindé.

A presidente informou que o pedido de audiência com o Governo foi protocolado ainda no início de janeiro, mas só agora houve a manifestação da prefeitura.

Outra informação que também foi confirmada pela presidente do SINDSEC, Regina Lemos, foi o pagamento do incentivo à assistência financeira complementar (Rateio entre os Agentes de Endemias).  

Para pressionar a agilizar a liberação dos recursos, os profissionais paralisaram as atividades durante dois dias na quinta-feira (15), e sexta-feira (16).

A secretária Municipal da Saúde de Canindé, Islayne Ramos, em entrevista informou que para poder efetuar o pagamento sem que houvesse problemas para a administração no futuro, foi necessário que os agentes através de uma assembleia deliberassem que o repasse do incentivo fosse pago através de folha complementar.

Dos 60 profissionais que integram a categoria, pelo menos 47 receberam o pagamento, haja vista que o restante estão ocupando outras funções na administração pública.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Agricultores lotam sindicato rural para alteração estatutária

Regularização atende exigência do MTE





O Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Canindé (STRAAF CANINDÉ) realizou, na última sexta-feira (16), na sede da entidade sindical, uma Assembleia Extraordinária, onde foram feitas alterações estatutárias para adequações às exigências do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

De acordo com o Diretor de Política Agrícola da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares no Estado do Ceará (FETRAECE), José Francisco de Almeida Carneiro: " não é uma mudança muito significativa, mas uma adequação da Lei 1166 de 1971, onde seja citado o tamanho da terra explorada por cada sócio do sindicato”.

O sindicato ficou lotado, o que foi visto de maneira bastante positiva pela presidente Mariinha Uchôa: “o comparecimento dos sócios superou as expectativas do evento que é de grande importância para os trabalhadores (a) do município”, destacou Mariinha.

O Diretor Técnico do Instituto do Desenvolvimento Agrário do Ceará (IDACE), João Paulo Henrique, também participou da Assembleia e falou sobre a situação da regularização fundiária no município de Canindé. Segundo João Paulo, até julho deste ano, os títulos de terras dos trabalhadores de Canindé que estão em análise estarão sendo resolvidos.
Já o Presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), Antônio Amorim, que também esteve tirando dúvidas dos participantes da Assembleia, informou que a Ematerce tem 17 diretrizes na área técnica para serem desenvolvidas com os trabalhadores rurais e também reforçou as expectativas de chuvas para a região de Canindé, acima da média.
Amorim também destacou a importância do Projeto São José I, que tem melhorado os investimentos na área rural com ações que vem desenvolvendo os trabalhos nas comunidades no interior do Ceará.
Os diretores do STRAAF CANINDÉ, por orientação e participação da Presidente Mariinha, vêm constantemente fazendo visitas às comunidades rurais informando sobre os trabalhos e as lutas do sindicato e também colhendo sugestões dos trabalhadores (a) do campo para melhor atuação e defesa da entidade sindical para seus sócios e demais trabalhadores dos Distritos de Canindé.

Bandidos armados atacam Itatira e furtam Correios da cidade

Criminosos utilizaram populares como reféns


Fotos: Divulgação do whatsapp






Vários homens fortemente armados invadiram a cidade de Itatira e fizeram populares de reféns para furtar o dinheiro da Agência dos Correios. A ação dos criminosos aconteceu na noite deste sábado (17) no centro da cidade, próximo à unidade policial. Segundo informações da população, no momento do ataque não havia policias no estabelecimento de segurança.

Um morador gravou um vídeo, onde homens armados aparecem efetuando disparos e provocando pânico e terror na cidade.



De acordo com as informações que foram divulgadas por populares de Itatira em grupos de whatsapp, as pessoas que estavam próximas no momento do ataque foram feitas de reféns e obrigadas a juntar o dinheiro para o bando, após o grupo explodir o estabelecimento dos correios.

Os bandidos usavam armas de grosso calibre, como fuzis e metralhadoras, informou um popular.



Um veículo utilizado pelos criminosos foi queimado na estrada no momento da fuga, dificultando a perseguição dos Policiais Militares acionados para atender à ocorrência.



Policiais dos municípios vizinhos e da Capital fizeram diligências na região, inclusive o helicóptero do Ciopaer também foi enviado ao município para ajudar na caçada aos bandidos.
 
Até o fechamento da matéria, oficialmente a Polícia ainda não havia divulgado dados da operação da perseguição ao bando.



Lanchonete Super Doidão - Pastel, Sanduíches, Salgados, Mousses, Vitaminas e Sucos.
Rua Gerôncio Brígido Neto nº 816 – Bairro Imaculada Conceição 

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Egresso do IFCE de Canindé lança livro infantil sobre luto

“Dizem que as Avós são Estrelas” é a primeira publicação de Cauê Jucá
 



“Ano passado, Maria foi passear na casa da vovó Rita. Foram os melhores dias da vida dela! Durante a viagem, mal aguentava de ansiedade e não cansava de perguntar à mãe se estavam perto de chegar. Ao ver a casa da fazenda, seus olhos brilharam de felicidade”. Assim começa Dizem que as Avós são Estrelas, livro infantil publicado pelo técnico em Telecomunicações Cauê Jucá, formado pelo campus de Canindé do Instituto Federal do Ceará (IFCE).
Aos 18 anos, Cauê lança seu primeiro livro, fruto de uma trajetória literária iniciada ainda na meninice. Filho, neto e sobrinho de professores, ele aprendeu a ler aos quatro anos de idade com a avó que inspirou o texto publicado pela Darda Editora. “Minha avó sempre dizia que não basta saber ler: você tem que ler coisas boas”, lembra Cauê. “Ela sempre me dava livros infantis para ler; o que marcou a minha infância foi O Mágico de Oz, que eu lia todos os dias, com ela e sem ela também”.
A história de Maria e Rita, narrada por palavras e ilustrações em Dizem que as Avós são Estrelas, reflete a vida e o amor de Cauê e Terezinha. Ao perder a avó, o autor sentiu a dor adulta e a incompreensão infantil frente à morte de alguém querido. Do turbilhão de sentimentos, surgiu um livro que se propõe a tratar, com sensibilidade e leveza, o luto pela perspectiva de uma criança.
“Eu perdi minha avó quando era adulto, mas foi um choque muito grande porque eu não tinha sido preparado em nenhum momento da minha vida para perder pessoas, embora seja natural. E aí eu fiquei pensando em como as crianças lidam com isso, porque esse tema fica por debaixo dos panos, ainda é um tabu e a gente precisa falar sobre a morte”, explica Cauê.
Circundando a temática principal do luto, o livro aborda também assuntos como a relação entre avós e netos; a alimentação tradicional do Sertão Central do Ceará, essencial para a cultura local e para a afirmação de identidade; o resiliente hábito da contação de histórias e a importância da leitura. A obra está sendo negociada com a Secretaria de Educação de Canindé para ser incluída na lista de paradidáticos nas escolas públicas do município.

Mais informações:
Dizem que as Avós são Estrelas
Autor: Cauê Jucá
Editora: Darda Editora
Páginas: 12
Preço: R$30 / Compre pelo site da editora ou diretamente com o autor

Informações do IFCE Canindé

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Na volta às aulas, alunos da rede municipal recebem fardamento escolar



A Prefeita de Canindé, Rozário Ximenes (MDB), visitou, na manhã de quinta-feira (15), a nova Escola Municipal São Francisco. A unidade funciona no antigo prédio da CNEC. Rozário aproveitou a volta às aulas para realizar a entrega de fardamento escolar.
Segundo o diretor da Escola, Elenilton Mendonça, a unidade iniciou o ano letivo com 1.050 alunos matriculados.
Ainda na tarde de quinta-feira, Rozário visitou um Centro de Educação Infantil (CEI) no bairro Alto Guaramiranga, onde também vestiu mais de 400 crianças com uniforme em verde e branco. De acordo com a prefeita, serão mais de 12 mil alunos beneficiados com o fardamento.

PUBLICIDADE


CNBB lança Campanha da Fraternidade 2018

“Fraternidade e superação da violência”


Na manhã da última quarta-feira, 14 de fevereiro, na sede provisória da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), foi aberta oficialmente a Campanha da Fraternidade (CF) 2018. Este ano, a Campanha trata da “Fraternidade e a superação da violência”. O presidente da entidade, cardeal Sergio da Rocha, e o secretário-geral, dom Leonardo Steiner, receberam autoridades para o evento: a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, o coordenador da Frente Parlamentar pela Prevenção da Violência e Redução de Homicídios, deputado Alessandro Molon, e o presidente da Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP), Carlos Alves Moura.
 “Há alguns dados dos estudiosos que nos estarrecem”, disse Carlos Moura. Negros e jovens são as maiores vítimas da violência no Brasil, informou. A população negra corresponde à maioria dos 10% dos indivíduos expostos ao homicídio no País. “É oportuno refletir sobre o Manual da Campanha da Fraternidade”, chamou a atenção: “A violência racial no Brasil é uma situação que faz supor uma forte correlação entre três formas de violência, direta, estrutural e cultural. Os casos de violência direta parecem ser resultado mais concreto e evidente de questões socioeconômicas históricas, além de deixarem entrever representações culturalmente produzidas e já naturalizadas a respeito da população negra, do índio, dos migrantes e, mais recentemente, também do imigrante”.
Moura lembrou que outra Campanha da Fraternidade tratou da superação da violência contra a comunidade negra, a Campanha de 1988, que tinha como lema: “Ouvi o clamor desse povo”.  Nela, segundo Carlos Moura, a Igreja renovou o comprometimento da Igreja com o combate à violência.

A ministra Cármen Lúcia, agradeceu à CNBB “pelo convite ao Poder Judiciário para participar desse momento”. A presidente do STF disse que hoje, infelizmente, o outro tem sido visto com desconfiança e não como um irmão, um parceiro. “Esta campanha ajuda a ver o outro como aliado, como irmão”, reforçou. “Não basta que se faça parte da sociedade humana, mas é preciso atuar por ela para que se crie espaços de fraternidade”, acrescentou a ministra.
Deputado Alessandro Molon disse: “Nós nos acostumamos com a nossa tragédia. É como se no Brasil, a vida humana valesse muito pouco”. Ele realçou que a Campanha da Fraternidade não é de combate à violência, mas a superação dela. Chamou atenção para esse ano de discursos políticos é preciso lembrar o que diz o texto-base da Campanha que lembra que se trata de um problema complexo que não aceita soluções simplistas. “Esse carnaval nos deixou algumas lições. Quando as autoridades se omitem, por exemplo, a violência cresce”. O deputado ainda lembrou que todos têm responsabilidade, mas o Parlamento deve melhorar o Direito para proteger mais a vida que o patrimônio.
Cardeal Sergio da Rocha disse que a importância da Campanha da Fraternidade tem crescido a cada ano, repercutindo não somente dentro do âmbito da Igreja Católica, mas em toda a sociedade civil, além de outras igrejas cristãs. “Construir a Fraternidade para superar a violência” é o objetivo da Campanha da Fraternidade, lembrou. “A vida, a dignidade das pessoas, de grupos sociais mais vulneráveis têm sido atingidos frequentemente”. A realidade da violência, no entanto, “não deve levar a soluções equivocadas”, disse. Por conta disso, a Campanha da Fraternidade, disse o cardeal, quer ajudar a todos para fazer uma análise profunda diante da complexidade da realidade da violência.
 “Embora que seja importante a ação de cada um de nós, mas é preciso de ações comunitárias”, disse o presidente da CNBB. A Igreja não pretende oferecer soluções técnicas para os problemas que aborda, mas o valor da fé e do amor que mostra que o semelhante não é um adversário, mas um irmão a ser amado, disse o Cardeal.
Com informações da CNBB

Em Canindé a Campanha será lançada na missa das 18 horas do próximo domingo (18).

PUBLICIDADE

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Frei Marconi é o novo Vigário Episcopal da Região São Francisco das Chagas

Nova missão foi assumida dia 7 de fevereiro





Arcebispo de Fortaleza Dom José Antônio Aparecido Tosi Marques nomeou o Reitor do Santuário de Canindé Frei Marconi Lins como Vigário da Região Episcopal Sertão São Francisco das Chagas. A solenidade que empossou os novos vigários episcopais da Arquidiocese de Fortaleza aconteceu na última quarta-feira (7).

A primeira reunião do Conselho de Pastoral das Paróquias da Região comandada por Frei Marconi será realizada no próximo dia 24. Antes, a missão era desempenhada por Pe. Dimas Gonçalves Lima

O Vigário Episcopal tem suas atividades definidas pelo Arcebispo de Fortaleza conforme a realidade pastoral de cada região. Entre elas, a articulação de integrar os trabalhos das paróquias. 

A Região São Francisco das Chagas é formada pelas seguintes Paróquias e Áreas Pastorais:

* Paróquia e Santuário São Francisco das Chagas Canindé, no Centro da Cidade – Basílica de São Francisco;
* Paróquia São José Bela Vista Canindé, na Igreja Matriz de São José,  no bairro Bela Vista;
* Área Pastoral São Pedro Alto Guaramiranga, na Igreja de São Pedro, no bairro Alto Guaramiranga Canindé;
* Área Pastoral Santo Antônio de Pádua Caiçara, no Distrito de Caiçara, Canindé;
* Paróquia Nossa Senhora das Dores, distrito de Campos Belos Caridade;
* Paróquia Santo Antônio Caridade, no bairro Centro, em Caridade;
* Paróquia São Miguel Arcanjo, no distrito de Itapebussu, Maranguape; e
* Paróquia Senhora Santana, no bairro Centro, em Paramoti.


terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Bloco das Cutruvias anima último dia do Carnaval de 2018 em Canindé

Everton Félix registra desfile  




Nesta terça-feira (13) do Carnaval de 2018, como já é tradição em Canindé, saiu às ruas da cidade o Bloco das Cutruvias, quando homens se trajam de mulher, sempre no último dia da folia momina.

Santuário de Canindé realiza momento de adoração ao Santíssimo Sacramento durante o carnaval

Momento foi realizado na Basílica de São Francisco  



O Santuário de São Francisco em Canindé realizou na segunda (12) e terça-feira (13) de carnaval um momento de oração.
A adoração ao Santíssimo Sacramento aconteceu de 14h30 até as 16 horas, na Basílica de São Francisco, e foi presidida pelo Reitor do Santuário Franciscano Frei Marconi Lins.
De acordo com o frade, os dois dias de oração foram bem participados pela população de Canindé. “Nós que aqui estamos rezando, nós estamos em sintonia com todos os homens e mulheres, os que sofrem, os que andam tristes e os que se alegram também.” Disse Frei Marconi.
Frei Marconi acrescentou que o povo tem que brincar, mas recomenda que não haja excessos.  

PM recupera moto furtada no bairro João Paulo II

Veículo estava por trás da quadra de esportes no São Mateus



Policiais Militares recuperaram por volta das 07h30 da última segunda-feira (12), por trás da quadra de esportes do bairro São Mateus, em Canindé, uma motocicleta HONDA/CG 125 Titan, 1999/2000, cor vermelha.
O veículo havia sido furtado da calçada de uma residência na Trav. 02, no bairro João Paulo II, na noite de domingo (11).

De acordo com informações do 4º BPM, os policiais que atenderam a ocorrência receberam uma informação de populares que ajudou a localizar o veículo furtado. Como não havia sido feito ainda o Boletim de Ocorrência pelo furto, a moto foi entregue a esposa do proprietário na residência da vítima.

Mudanças na reforma da Previdência são criticadas por deputado


O líder do governo, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), disse que será feito um esforço para votar a reforma da Previdência (PEC 287/16) entre os dias 19 e 28. Se isso não ocorrer, por falta dos 308 votos necessários, o governo passará a defender a votação de outros temas de interesse do Executivo.
No dia 7, o relator da reforma, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), confirmou nova alteração no texto, prevendo pensão integral para os cônjuges de policiais mortos em serviço. Aguinaldo Ribeiro afirmou que a medida era apoiada por uma bancada "expressiva", mas não precisou quantos votos foram efetivamente ganhos com a alteração.
A integralidade da pensão levará em conta a data de entrada do policial no serviço público. Isso porque os servidores que entraram após 2003 não têm integralidade na aposentadoria. Os policiais militares não estão incluídos porque são regidos por outras regras.

Oliveira Maia admitiu que pode negociar outros pontos da reforma durante a discussão em Plenário, mas adiantou que não negocia as idades mínimas de 62 anos para mulheres e de 65 anos para homens.
Outra questão inegociável, segundo Oliveira Maia, são as mudanças que igualam os servidores públicos aos trabalhadores em geral.
Desde 2013, o teto de aposentadoria dos servidores federais é o teto do INSS, de R$ 5.645,80, mas muitos estados e municípios não implementaram fundos complementares para os seus servidores e continuam fora do teto.
A emenda da reforma prevê prazo de seis meses para governadores e prefeitos adequarem seus sistemas.
O líder do PSB, deputado Júlio Delgado (MG), disse que o seu partido quer votar a reforma para derrubá-la em Plenário. "A gente quer derrotar essa proposta de uma vez por todas para não deixar nenhum resquício que ela possa vir a ser votada em novembro com um Congresso totalmente alterado em função do resultado das urnas.”
Delgado criticou as novas mudanças sugeridas pelo relator. “Essa alteração é mais uma maquiagem numa tentativa de encontrar consenso que não vai existir na votação desta matéria", criticou.
Os líderes da oposição afirmam que a reforma vai cortar 40% do valor das novas pensões e 40% dos novos benefícios de quem se aposentar com apenas 15 anos de contribuição. O trabalhador só terá 100% da média de contribuições caso tenha 40 anos de pagamentos comprovados. Além disso, o acúmulo de aposentadoria com pensão só será permitido até o máximo de dois salários mínimos, ou R$ 1.908,00.
Representantes de cinco centrais sindicais sugeriram  ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que a votação da reforma da Previdência fique para 2019.

Com informações da Agência Câmara Notícias